quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Excepcionalmente beisebol

Como todos os viciados em YouTube, passo horas em frente ao computador procurando por vídeos interessantes, especialmente de beisebol e softbol. E, recentemente, vi dois que me impressionaram muito.

O primeiro é uma demonstração única de habilidade. O arremessador Pat Venditte, atualmente jogando pela Universidade Craighton, chamou a atenção de todos por possuir uma aptidão peculiar: a de arremessar com as duas mãos. Até uma luva com seis dedos, foi desenvolvida para especialmente para ele. De acordo com o rebatedor que vai enfrentar, ele troca a luva de mão e escolhe como arremessará.

Essa capacidade, inclusive, fez com que ele fosse selecionado pelos New York Yankees, no Draft desse ano, mas, surpreendentemente, ele escolheu voltar para a cidade de Omaha, no estado de Nebraska, onde nasceu, para jogar durante seu Senior Year, o último ano de estudo antes de se graduar, em Craighton.



O segundo vídeo, além de também mostrar muita habilidade, exibe uma das maiores forças de superação que o esporte já conheceu. Eu, na verdade, já conhecia a história de James Anthony Abbott, mas, infelizmente, não tive a oportunidade de vê-lo atuar. Para que quem não conhece possa entender, ele nasceu sem a mão direita e, ainda assim, conseguiu se profissionalizar e atingir marcas invejáveis.

A carreira de Jim Abbott, como ficou conhecido no mundo do beisebol, conseguiu alcançar metas importantes desde a época em que jogava pela Universidade de Michigan. Em 1987, ele se tornou o primeiro beisebolista a receber o prêmio James E. Sullivan, dado ao melhor atleta amador dos Estados Unidos. Um ano depois, em 1988, conquistou o ouro nos jogos olímpicos de Seul, mas como o beisebol era um esporte de exibição, a conquista não foi computada no quadro de medalhas.

Se os feitos de Abbott como amador já impressionam, como um profissional da Major League Baseball não é muito diferente. Jim Abbott iniciou sua carreira em 1989, no California Angels, atual Los Angeles Angels of Anaheim, e atuou por New York Yankees, Chicago White Sox e Milwaukee Brewers, onde encerrou sua trajetória como jogador, em 1999, com um ERA de 4.25 e a marca de 888 rebatedores eliminados por strike. Entretanto, apesar dos números, foi no dia 4 de setembro de 1993, pelos Yankees, que aquele jovem nascido sem uma das mãos, então com 26 anos, faria o melhor jogo de sua vida, conseguindo um no-hitter (quando nenhum adversário consegue uma rebatida válida), contra o Cleveland Indians, no Yankee Stadium.

* * *
Semana passada, mais precisamente na quarta-feira, os Texas Rangers conseguiram a maior vitória dos últimos 110 anos da MLB. A vítima foi o time do Baltimore Orioles, que, em casa, amargou uma derrota por 30 a 3. A única vez em que uma equipe marcou mais corridas que os Rangers foi no dia 29 de julho de 1897, quando os Chicago Colts derrotaram os Louisville Colonels por 36 a 7.

Ah! Um detalhe sobre o jogo da última quarta: a vitória texana foi de virada. Os Orioles chegaram a abrir 3 a 0 nas três primeiras entradas, mas, depois, acabaram massacrados pelos Rangers. Essa foi a primeira vez em que um time da Major League Baseball sofreu 30 corridas sem conseguir anotar mais nenhuma.

Fernando Andrade passou de fã a companheiro de transmissões de Ivan Zimmerman. Jornalista, trabalhou nas rádios Tupi, Nativa, Jovem Pan e Paradiso. É jogador, treinador e presidente da Federação Carioca de Beisebol e Softbol, e escreve sobre o esporte às quartas-feiras.

Um comentário:

Fred disse...

mandou bem nando.
já tinah visto os videos.
sempre bom divulgar;
nosso esporte tbm tem coisas legais.
=D

continue, coluna tá irada.
abc.