quarta-feira, 22 de agosto de 2007

A Fênix do Bronx

Alex Rodriguez: marca histórica e liderança nos Yankees (foto: MLB)

Nem nos filmes do bruxo adolescente Harry Potter encontraria-se uma fórmula mágica que possibilitasse uma ressurreição como a que os New York Yankees vêm demonstrando na temporada atual da Major League Baseball, a liga profissional americana. Tal como a fênix, ave mitológica que ressurge das cinzas, o time nova-iorquino vem exibindo uma força de recuperação sobrenatural.

Claro que os Yankees são conhecidos por acontecimentos inexplicáveis em suas campanhas, como, por exemplo, a ajuda dos fantasmas de seus maiores ídolos que já passaram “dessa para uma melhor”, especialmente, quando atua no Bronx. Mas creio que nem o torcedor mais otimista, nem os espíritos do Yankee Stadium, acreditavam que fosse possível reverter uma situação tão desfavorável.

Em meados de julho, período em que há uma pausa para a disputa do Jogo das Estrelas, o time de Nova Iorque estava na vice-liderança de sua conferência na Liga Americana, com 9,5 jogos de desvantagem para o Boston Red Sox, e a oito do Cleveland Indians, na disputa pelo Wild Card, equivalente à repescagem da MLB. Desempenho suficiente para que muitos especialistas já dessem como acabada a temporada da equipe.

Entretanto, com várias seqüências de vitórias no último mês, incluindo a última sobre o Detroit Tigers, nesse domingo, Joe Torre e seus comandados conseguiram reduzir bastante esses números: quatro jogos de diferença para os Red Sox, e meio jogo (Isso mesmo! Meio jogo!) de desvantagem para o Seattle Mariners, novo líder da Wild Card, na Liga Americana.

Na verdade, nunca se deve duvidar de um time que tem o poder de fogo dos Yankees. Alex Rodriguez e companhia nunca deixaram a desejar na parte ofensiva, com o time sempre figurando entre os principais nas estatísticas de ataque. A-Rod, inclusive, além de liderar os números de home runs e corridas impulsionadas, tornou-se o mais jovem jogador a atingir a marca de 500 home runs, aos 32 anos.

E parece que as coisas estão se acalmando, também, na rotação de arremessadores, que vinha se mostrando a grande preocupação da direção da equipe. Não foram poucas as vezes em que o mais tradicional time de beisebol do mundo amargou derrotas mesmo tendo conseguido anotar duas ou mais corridas.

Caso mantenha esse equilíbrio entre defesa e ataque, que já se mostrou tão necessário para os times que almejam grandes conquistas, atrevo-me a dizer que os fãs já podem sonhar com a conquista da vigésima sétima World Series da equipe dos Yankees. Afinal, de nada adiantam os fantasmas, se os “de-carne-e-osso” não fizerem sua parte dentro de campo.

É muito difícil fazer previsões, inclusive se o time conseguirá conquistar sua divisão ou mesmo o Wild Card, mas, pelo menos, os Yankees estão conseguindo ressurgir das cinzas e, a exemplo da fênix, mostrar que não estão mortos! Quer dizer, alguns estão, mas, no Bronx, até os fantasmas entram em campo...

Fernando Andrade passou de fã a companheiro de transmissões de Ivan Zimmerman. Jornalista, trabalhou nas rádios Tupi, Nativa, Jovem Pan e Paradiso. É jogador, treinador e presidente da Federação Carioca de Beisebol e Softbol, e escreve sobre o esporte às quartas-feiras

3 comentários:

Biby Cletus disse...

hi there, i stumbled across your blog while randomly searching the blogosphere, nice one you have here, i also find the design to my liking. do keep up the good work.

warm regards from the other side of planet earth. i'll be back for more.

Deep Regards

Biby Cletus

Alexandre G. disse...

Aí Nando!!! Muito bom o blog brother!
Não acompanho o Baseball, mas entendo o jogo e gosto!
Bom saber que tem uma fonte de notícias tão boa sobre o assunto!!!
Abração!

Tiago disse...

eh, soh faltou relatar o fato imutavel e inegavel que, em bom ingles, yankees suck...