quarta-feira, 3 de outubro de 2007

A hora da verdade

Colorado Rockies comemora conquista da wild card (foto: mlb.com)

Por Fernando Andrade

É, meus amigos! Outubro chegou! E hoje, quarta-feira, começam os playoffs da Major League Baseball.

A última vaga foi conquistada pelo Colorado Rockies, em um lance muito polêmico, durante o jogo-desempate com o San Diego Padres. No décimo terceiro inning, Matt Holliday marcou o ponto da vitória, deslizando para evitar o toque do catcher Michael Barrett, que perdeu o controle da bola. Até aí, parece tudo normal, mas o detalhe é que o próprio admite não ter certeza se ele tocou o home plate, para validar o ponto.

Polêmicas à parte, o Colorado Rockies, considerado um dos “pequenos” do beisebol americano, chega pela segunda vez aos playoffs. Na primeira, em 1995, os Rockies foram eliminados pelo Atlanta Braves por 3 a 1.

Voltando a 2007, as séries decisivas da MLB prometem confrontos muito interessantes. Jogos marcados, especialmente na Liga Americana, por muito equilíbrio. Como todo palpiteiro de plantão, vou fazer minhas apostas.

LIGA AMERICANA

Boston Red Sox x Los Angeles Angels of Anaheim
O Boston Red Sox estréia em casa, no Fenway Park, apostando, principalmente, na força de sua rotação de arremessadores. Para começar bem, o técnico Terry Francona escalou o astro Josh Beckett para começar o jogo 1 da série. O japonês Daisuke Matsuzaka abre a segunda partida e Curt Schilling a terceira. No ataque, o Boston teve uma temporada somente razoável. Alguns podem rebater, dizendo que foi o quarto time que mais anotou corridas, mas também foi o que mais ganhou bases através de walks (quando são arremessadas quatro bolas fora da zona de strike, o rebatedor avança para a primeira base). Com o bastão mesmo, a produção não foi nada demais.

Os Angels devem entrar com um estilo de jogo bem diferente, apostando no ataque. Por mais que a linha de rebatedores da equipe não tenha mostrado tanta potência quanto outros times, ela se destacou pela eficiência e, principalmente, pela velocidade. O time de Anaheim tem o quarto melhor índice de rebatidas válidas e o terceiro maior número de bases roubadas. Conquistar bases e, se possível, roubar algumas outras, de fato, ajuda muito quando se tem Vladimir Guerrero, mas não creio que isso seja suficiente para que os Angels consigam deter o Boston.

Palpite: Red Sox 3 x 1 Angels

Cleveland Indians x New York Yankees
Os Indians me despertaram muita curiosidade esse ano. O time de Cleveland teve, ao lado do Boston Red Sox, a melhor campanha da temporada regular, com 96 vitórias. Apesar de inconstante, os pitchers conseguiram dar conta do recado e tudo mais. Ainda assim, é uma equipe que não inspira confiança a muitos torcedores. Esse “pé atrás” se deve, essencialmente, a um poder ofensivo limitado. Um time que quer ser campeão não pode produzir tão pouco, como o Cleveland Indians fez. Para preocupar ainda mais alguns torcedores da equipe, lembro que os Yankees vêm para os três primeiros jogos da série com o que têm de melhor em termos de arremessadores (ou o pouco que presta na rotação nova-iorquina): Wang, Pettitte e Clemens.

Ontem, comendo uma pizza com meus colegas de Mensa, explicava para eles que o beisebol talvez seja o esporte que mais pode se resumir em números. E os números ofensivos do New York Yankees impressionam muito: melhor índice de aproveitamento, equipe com mais corridas anotadas e rebatidas válidas, entre outros. Na verdade, sempre é favorito um time que conta com um grupo de rebatedores como A-Rod, Jeter, Posada, Damon, etc. Se os arremessadores fizerem o mínimo para segurar seus jogos, aposto que vem uma varrida por aí.

Palpite: Yankees 3 x 0 Indians

LIGA NACIONAL

Arizona Diamondbacks x Chicago Cubs
Eu diria que o Arizona Diamondbacks é a maior prova que, em alguns esportes, não sofrer pontos pode ser mais importante que marcá-los. Até porque o ataque de Arizona é surpreendente. Surpreendentemente, tem o segundo pior aproveitamento da MLB; surpreendentemente, tem o segundo menor número de rebatidas válidas; surpreendentemente, um dos cinco times que menos anotaram corridas; e, surpreendentemente, passou para os playoffs. Será que ainda pode guardar alguma surpresa?

O Chicago Cubs tem uma grande chance de manter o bode afastado, ao menos por enquanto. A grande vantagem do técnico Lou Piniella é contar com o talento de Alfonso Soriano, Carlos Lee e do arremessador Carlos Zambrano. Além de possuir um elenco de arremessadores muito bom, no ataque, mesmo sem ser uma equipe brilhante, conta com talentos individuais que podem desequilibrar a seu favor.

Palpite: Cubs 3 x 2 Diamondbacks

Philadelphia Phillies x Colorado Rockies
Confesso que achei que estaria escrevendo sobre New York Mets x San Diego Padres, mas errei os dois times.

Os Phillies levaram a melhor sobre os Mets no finalzinho da temporada regular e, para os playoffs, têm uma das séries mais fáceis de todas. Na verdade, o único motivo pelo qual achei que os Mets passariam foi a vantagem que o time de Nova Iorque chegou a abrir a menos de um mês do fim da temporada regular. Fora isso, o time da Filadélfia não deixa nada a desejar, muito pelo contrário! O técnico Charlie Manuel tem ao seu dispor um grupo com jogadores como Ryan Howard, Chase Utley e Jimmy Rollins (forte candidato ao título de MVP da Liga Nacional) que lhe dão potência e bom aproveitamento ao bastão, além de arremessadores que têm plenas condições de controlar os Rockies.

O Colorado Rockies só tem uma vantagem sobre os Phillies. Na verdade, uma vantagem sobre qualquer outra equipe: o fato de já ter chegado mais longe do que todos esperavam. Claro que todos os torcedores de Colorado, se é que existe algum, sonham com o título da World Series, mas acho que nem eles acreditam muito. Nem vou tentar analisar o time, discorrer sobre estatísticas, pois acho que a única coisa que pode dar esperança ao Colorado Rockies é justamente a falta dela. Como ninguém espera que consigam alguma coisa, ao menos os jogadores não entram com tanta pressão.

Palpite: Phillies 3 x 0 Rockies

Fernando Andrade passou de fã a companheiro de transmissões de Ivan Zimmerman. Jornalista, trabalhou nas rádios Tupi, Nativa, Jovem Pan e Paradiso. É jogador, treinador e presidente da Federação Carioca de Beisebol e Softbol, e escreve sobre o esporte às quartas-feiras.

Um comentário:

Ba disse...

Não sou muito boa nas apostas, mas, após o Flamengo vencer o São Paulo, só posso dizer que os bons ventos estão soprando pra mim.... Afinal, os porcos da minha cidade (os donos dos suínos) estão entrando na linha, as feiras e rodeios da regional já estão encaminhados e o Boston... Bom, se até você apostou no Boston, quem sou eu pra não acreditar no meu time, após tantas coisas boas. Mesmo não conseguindo acompanhar os jogos, tenho que confiar, pois quando todos achavam que estava perdido, ele virou pra cima do Yankees (que estava 3 a 0, no melhor de 7, lembra? :P)e venceu. Desde então, fui proibida de torcer pro Yankees, né, Fernando... Vocês que nos aguardem...
Agora, seu comentário "mas também foi o que mais ganhou bases através de walks" não quer dizer nada. Vencer só de walks é vitória do mesmo jeito. Ahhhhhh... E como é bom caminhar... Bem melhor que se cansar correndo! rs
É isso! "Devagar e sempre!"
Beijos